Governo estuda congelar valor da aposentadoria para bancar NOVO programa

Devido a situação que o Brasil se encontra, o governo estuda congelar o valor da aposentadoria para bancar novo programa que será criado. A equipe econômica quer propor o congelamento dos benefícios de aposentados e outros pelos próximos dois anos.

Medida que seria tomada como forma de bancar o programa Renda Brasil, que deve substituir o atual Bolsa Família. No entanto, a medida ainda precisa do aval do presidente Jair Bolsonaro. No mês passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu o fim do abono salarial, o que iria gerar recursos ao novo programa, mas o presidente afirmou que não iria tirar dos pobres para dar ao paupérrimos.

A medida iria liberar R$ 58,5 bilhões do orçamento, segundo a equipe econômica, isso seria mais ou menos o valor necessário para bancar um benefício de R$ 300 por mês, que séria destinado as beneficiários da Renda Brasil, como deseja o presidente Jair Bolsonaro. E ainda atacaria a principal fonte de despesa do governo federal: a Previdência Social, que deve consumir R$ 704,4 bilhões em 2021, o que seria quase metade das despesas previstas no Projeto de Lei Orçamentária Anual.

Na manhã da última terça-feira (15/09), o presidente Jair Bolsonaro anunciou por meio de suas redes sociais que desistiu do programa Renda Brasil, o mesmo substituiria o Bolsa Família.

O que dizem os especialistas:

Muitos especialistas analisaram e questionaram a viabilidade da medida que seria adotada pelo presidente Jair Bolsonaro. “Se Bolsonaro não permitiu refocalizar o abono, vai permitir desindexar a aposentadoria?”, questionou um técnico do próprio governo.

O Senador Alessandro Viera (Cidadani-SE), vice-presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Renda Básica, é contra o congelamento das aposentadorias e das pensões que o presidente propõe: “É difícil vincular um programa de renda assistencial a um debate de direito previdenciário, direito adquirido”, avaliou ele.

Já Waldery Rodrigues, é a favor do congelamento do valor da aposentadoria: “A desindexação que apoiamos diretamente é a dos benefícios previdenciários para quem ganha um salário mínimo do comércio e acima de um valor do salário mínimo 2021, não havendo uma regra simples e direta (de correção). O benefício hoje sendo de R$ 1.300, no ano que vem, ao invés de ser corrigido pelo INPC, ele seria mantido em R$ 1.300. Não haveria redução, haveria manutenção” , afirmou Waldery.

Segundo Rodrigues, a ideia está sendo analisada com os ministérios da Casa Civil e da Cidadania. No entanto, ele afirma que o governo ainda não fechou nenhuma decisão sobre o assunto em questão.

Conheça o Renda Brasil, possível novo programa social do governo Bolsonaro

Os últimos meses do Governo Bolsonaro têm sido bastante conturbados por diversos motivos, mas uma proposta recente dessa liderança promete ser a solução para a situação de vulnerabilidade econômica de alguns brasileiros. Estamos falando do Renda Brasil, possível novo programa social do Governo, e você irá conhecê-lo a seguir:

O Governo já promove assistência para muitos brasileiros que recebem, por exemplo, através do calendário do Bolsa Família, mas este programa não abrange a situação socioeconômica de muitos brasileiros. Neste ponto, surge a necessidade de criação de um novo programa: o Renda Brasil.

O que é o Renda Brasil?

O Renda Brasil é a nova proposta do Governo, que pretende oferecer um suporte financeiro para os cidadãos brasileiros de baixa renda.

O programa estará usando critérios socioeconômicos para avaliar os inscritos e oferecerá um valor mensal através de transferência de renda.

A bolsa oferecida pelo Renda Brasil visará cobrir custos básicos mensais do brasileiro, como alimentação, transporte, vestimenta, entre outros.

Quais programas estará substituindo?

É importante ressaltar que a criação deste programa estará unificando outros que também proporcionam benefícios para os brasileiros do baixa renda.

Quem já está buscando pelo novo valor do Bolsa Família em 2021, deve saber que ele estará sendo unificado ao Renda Brasil. O Salário-Família também proporciona auxílio financeiro para algumas famílias brasileiras e estará unificado ao Renda Brasil.

Outros projetos também estarão sendo unificados como o abono salarial, proporcionado pelo PIS/PASEP, e o Seguro Defeso, pago aos pescadores em determinados períodos de procriação dos peixes.

Quem poderá ser beneficiado?

O programa estará beneficiado os cidadãos brasileiros de baixa renda em duas categorias e o critério que definirá quem pode ou não receber é socioeconômico.

A primeira categoria é destinada às famílias brasileiras que possuem renda de até R$ 250 por pessoa. Nesses casos, o benefício é integral.

A segunda categoria é destinada às famílias que possuem renda média de até R$450 por pessoa, mas o benefício pago não será integral.

Quanto será pago?

Como você conferiu acima, o valor a ser pago pode variar entre as duas categorias do programa e irá depender diretamente da renda declarada pela família.

O benefício máximo a ser recebido será de R$300 por mês, que será liberado para quem se encontra na primeira categoria e está dentro dos requisitos do programa.

Já quem se encontra na segunda categoria de recebimento pode ter uma bolsa variável, embora o valor previsto seja de R$250.

Pandemia do novo coronavírus trouxe uma “onda” de solidariedade para o Brasil

O novo coronavírus ocasionou mudanças e crises em todos os setores da nossa vida e lidar com todas essas informações têm sido difícil para a maioria das pessoas.

Mas apesar dos embates que aconteceram e estão acontecendo devido ao novo vírus, muitos brasileiros têm se manifestado com boas ações, causando um efeito dominó de solidariedade. Entenda tudo a seguir:

Não é possível ignorar todos efeitos destrutivos que o pandemia do coronavírus causou e ainda tem causado, mas é interessante mencionar que existem notícias boas relacionadas a este tema e como notícias boas são sempre bem-vindasvamos falar um pouco sobre algumas delas.

Mercado Solidário

O Mercado Solidário tem sido um verdadeiro sucesso no objetivo de auxiliar o próximo, pois garante uma assistência diferenciada para trabalhadores informais e autônomos que tiveram sua renda comprometida por causa da crise do coronavírus.

Trata-se de uma plataforma de compras, na qual os compradores compram mas não levam os produtos. Os “consumidores” podem escolher de quais trabalhadores da plataforma desejam fazer a compra simulada e o dinheiro irá para eles, mas os produtos não são enviados.

Na plataforma, ainda podemos conhecer um pouco mais sobre cada trabalhador informal e autônomo e quais os seus serviços ou produtos.

Delivery do Amor

Por conta do isolamento social e do risco eminente à vida humana, muitos idosos envolvidos no projeto Experiência e Vida ficaram isolados em suas residências, o que causou grande comoção nas pessoas.

E é através do “Delivery do Amor” que voluntários do CRAS da Paraíba vão levar um pouco de carinho e atenção para senhoras como a Dona Teleleu, uma professora aposentada que se emocionou ao receber essa demonstração tão necessária de afeto.

Delivery de Currículos

A crise do coronavírus deixou milhares de brasileiros desempregados  impossibilitou que o percentual que já estava na concorrência no mercado de trabalho pudesse encontrar novas possibilidades. Em tempos como esse a ideia de um “delivery” de currículos chegou a ser excepcional.

Pensando nisso, o administrador Kaká D’Ávila, residente de Porto Alegre montou um esquema para recolher e entregar currículos em empresas que estão contratando. Ele recebe os documentos mas também busca se comunicar com as pessoas na comunidade, batendo de porta em porta em busca de possíveis currículos.

O projeto é pessoal e totalmente voluntário, como também é bastante organizado. Kaká separa os currículos a partir de categorias e já chegou a entregar mais de 2 mil deles por aí.

Vale a pena continuar os estudos depois dos 40 anos?

De acordo com índices do MEC, o Brasil ainda é um país onde o estudo não é prioridade e o índice de analfabetismo ainda é preocupante.

A maior dúvida para este público da meia idade em relação a voltar ou continuar os estudos é “Vale a pena seguir esse rumo depois de certa idade?”.

E para entender se realmente vale a pena continuar os estudos na meia idade, confira as informações a seguir:

O brasileiro nem sempre prioriza os estudos, afinal, existem outras necessidades recorrentes que a população desigual enfrenta. Mas independente das razões pelas quais o cidadão precisou deixar de estudar, é necessário ressaltar a importância desta etapa na formação do ser humano.

O estudo pode ser considerado em qualquer idade e o próprio Governo brasileiro reconhece este fato. Temos como prova disso diversos programas que foram desenvolvidas para atender o público de maior e melhor idade que tiveram seus estudos interrompidos.

Confira abaixo alguns dos programas opcionais que visam proporcionar melhorias para a área da educação no país:

Encceja

Vamos começar falando do Encceja, que é uma opção muito interessante para quem deseja concluir o ensino básico e prosseguir os estudos em outros níveis. Isto porque é uma forma prática e mais rápida que outros programas de conseguir o certificado de conclusão do ensino básico.

O Encceja é uma prova que acontece anualmente, formada por questões objetivas e uma prova de redação. A prova do Encceja em 2021 estará oferecendo certificado de conclusão no ensino fundamental e no ensino médio para os estudantes que obtiverem uma boa pontuação na avaliação.

EJA

A próxima opção da nossa lista é o programa Educação para Jovens e Adultos (EJA). Diferente da proposta anterior, o EJA é recomendado para quem interrompeu os estudos e precisa estar inserido num modelo educacional semelhante, revendo os conteúdos em aulas noturnas e passando pelas avaliações tradicionais.

Vale mencionar que o EJA possui um tempo de duração reduzido, se comparado ao ensino básico tradicional. Através dele, os estudantes conseguem concluir os 3 anos do ensino médio em apenas 1 ano.

Novos Caminhos

Nossa última opção de estudo para a meia e a melhor idade está relacionada a qualificação profissional. Enquanto os outros programas visavam o ensino básico, este estará direcionado para o ensino profissionalizante, ou seja, o mercado de trabalho.

O programa Novos Caminhos atua através de parcerias com escolas técnicas como o SENAC e o SENAI, promovendo acessibilidade para bolsas de estudo integrais.

Fonte: meuvestibular.com.br

Governo começa a pagar R$ 600 para beneficiários do Bolsa Família

Quem tem acompanhado as mídias ultimamente já deve ter ouvido falar no acréscimo de R$600 ao valor proporcionado pelo Bolsa Família. A notícia surpreendeu os brasileiros e a partir dai, começaram a surgir várias dúvidas. Afinal, quem tem direito a esse valor, como acessar e de que forma ele será pago?

Bem, para ajudar você a entender todas as dúvidas relacionadas ao valor extra do Bolsa Família, separamos algumas informações importantes.

Quem pode se inscrever no Bolsa Família?

O Bolsa Família é um programa brasileiro de transferência de renda criado no Governo Lula como uma das medidas de solução para a situação de pobreza no país. De acordo com o Governo, podem se inscrever no Bolsa Família famílias que:

  • Estejam registradas no Cadastro Único;
  • Tenham renda mensal de até R$ 89,01 por pessoa, para a declaração de pobreza extrema;
  • Tenham renda mensal de até R$ 178,00 por pessoa, para a declaração de pobreza;
  • Possuam gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos se declararem pobreza.

O que é o auxílio emergencial?

O valor de R$600 que está previsto para as famílias beneficiárias do Bolsa Família está relacionado ao auxílio emergencial, criado pelo Governo com o intuito de amenizar os efeitos da pandemia do coronavírus.

O auxílio emergencial está previsto para ser pago em até três parcelas, ou seja, três mensalidades iguais de R$600, totalizando um suporte total de R$1.800 para essas famílias.

Vale a pena lembrar que as mulheres solteiras que são chefes de família e estão inscritas no Bolsa Família irão receber três parcelas do auxílio emergencial de R$1.200, totalizando R$3.600.

Como se inscrever?

É importante ressaltar que os brasileiros que não estão cadastrados no Bolsa Família podem ter acesso a esse valor dentro da mesma perspectiva, caso sejam:

  • Maiores de 18 anos;
  • Sejam trabalhadores informais, MEIs ou desempregados;
  • Possuam renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Nesses casos, basta acessar a plataforma do Auxílio Emergencial através do site oficial ou do aplicativo que pode ser encontrado na Play Store e na Apple Store. Depois do acesso, basta preencher os campos com os dados pessoais requeridos.

Como o beneficiário do Bolsa Família pode se inscrever?

Quem já recebe o Bolsa Família está automaticamente registrado no Cadastro Único e por isso, não precisa realizar nenhum cadastro no site ou no aplicativo como os outros beneficiários.

O valor será acrescentado de forma automática a bolsa mensal que a família já recebe e poderá ser sacado através da mesma conta já registrada no Bolsa Família.

Como funciona a criação de uma ONG? Veja as etapas de forma detalhada

As ONG’s possuem iniciativas no mundo inteiro e são uma passo importante para minimizar os problemas sociais que enfrentamos. Quanto mais ONG’s puderem sem criadas, mais famílias e mais causas ambientais poderão ser atendidas.

Muita gente têm interesse em um trabalho filantrópico como esse, objetivando abrir uma ONG para trabalhar a favor da comunidade. Mas como será que funciona o processo de abertura dessa instituição?

Preparando um passo a passo para que você possa compreender a função da ONG e saber qual o procedimento para inciá-la. Confira:

Entenda o que é uma ONG

Você pode ter uma ideia do que é essa instituição e o que ela pode proporcionar, mas para liderar um projeto como esse, é necessário ter muito conhecimento. As Organizações Não Governamentais (ONGs) visam defender uma causa política sem nenhum fim lucrativo e dentro dessas informações estão diversos outros aspectos como: apoio financeiro, contas a pagar, entre outros.

Escolha a sua causa

Existem diversos problemas sociais, ambientais e morais que precisam de suporte e uma das características mais interessantes sobre essas organizações, é que você defender qualquer causa. O ideal é que você escolha pelo que você quer lutar, a fim de começar campanhas e conduzir pessoas que possuam afinidade com a sua ideia. A escolha da causa é essencial para definir o rumo da sua ONG.

Procure apoio financeiro

Como mencionado, as ONGs são instituições que não possuem fins lucrativo e por isso, todos os projetos e contas serão mantidos a partir de doações. O quanto antes você conseguir apoio financeiro para a sua causa, melhor para garantir o apoio que você quer oferecer para a sua comunidade. É importante conquistar grandes investidores, mas vale lembrar que toa ajuda é bem vinda e não se pode pensar grande sempre quando o assunto é doação.

Elabore a proposta de Estatuto

Agora que você já conferiu os primeiros passos para abrir uma ONG, é hora de falar de processo burocráticos. O primeiro deles é a elaboração do Estatuto, ou seja, a criação do projeto que você vai apresentar como causa da ONG. É importante mencionar que depois dessa criação, você deve se reunir com os seus colaboradores para aprovar o Estatuto.

Registre-se legalmente

Você deverá, primeiramente, realizar a lavratura da escritura do imóvel no qual a ONG estará instalada. Depois disso, é preciso fazer o registro na Receita Federal. Caso tenha dúvidas, entre em contato com a instituição. Também é necessário realizar uma inscrição na Secretaria da Receita Estadual. Se existirem funcionários na sua ONG, os mesmo deverão ser registrados na Delegacia Regional do Trabalho.

Cortes em programas sociais assustam famílias de baixa renda ao redor do país

Atualmente, existem alguns programas sociais que assistem às famílias brasileiras que se encontram em situação de baixa renda. Entretanto, esses programas vêm sendo ameaçados pelos cortes no orçamento, causados por medidas do Governo que visam tirar o país de uma crise econômico.

Quem depende desses programas para alcançar o mínimo de qualidade de vida, tem se visto em uma grande incerteza. Afinal, qual será o destino dos brasileiros de baixa renda ao redor do país após esses cortes? Veja tudo a seguir:

Como mencionado, o país promove alguns programas sociais que visam assistir as famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza e pobreza absoluta. As inciativas mais famosas e mais solicitadas são requiridas através do programa Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida.

Diferente dessas propostas, que objetivam oferecer subsídio e auxílio financeiro mensalmente para as famílias cadastradas, temos o Fies, o maior programa de financiamento estudantil do país. E o motivo de ser necessários mencionar esses três programas, é que goram eles que mais sofreram cortes no Governo Bolsonaro, que começou a atuar esse ano.

O programa Bolsa Família, oferece um apoio financeiro mensal, que varia de acordo com a situação de cada família. As famílias que estão dentro dos requisitos de renda mínima por pessoas, podem solicitar o apoio através do registro no programa. Mas desde que o Presidente Bolsonaro anunciou diversos cortes nos programas sociais, quem está dependendo do pagamento do Bolsa Família em 2020 tem estado preocupado!

A proposta de diminuição do orçamento para os programas tem estado em pauta desde 2019, mas foi em 2020 que começou a valer para os brasileiros. A expectativa é que haja uma redução no valor da bolsa já que ela não será corrigida pelo valor da inflação. E o que isso significa para quem precisa do auxílio?

Bem, além da própria redução do valor toral, a fila de famílias que precisam se cadastrar no Bolsa Família tende a aumentar. Isto quer dizer que ficará mais rigorosa a avaliação de agentes responsáveis por classificar as famílias que podem se cadastrar no programa.

E apesar desse grande choque para beneficiários do Bolsa Família, o programa que mais sofreu cortes foi o Minha Casa Minha Vida, que permitia a compra de imóveis com condições facilitadas para famílias de baixa renda. A medida não vai proporcionar novos contratos de financiamento para as famílias de todo o país, garantindo somente a finalização dos processos que já estão em andamento.

Quer ser um voluntário? Veja como fazer ser possível!

O trabalho voluntário ainda é uma das formas mais comuns de estar praticando o bem, seja em função de uma causa ou de um grupo de pessoas. Já pensou em ser um voluntário? Vamos ensinar a seguir como você pode tornar isso possível:

Ser um voluntário pode representar diversos benefícios, como crescimento pessoal, contato com pessoas diferentes e muito mais. Diversas pessoas afirmam que querem trabalhar em prol de causas e projetos, mas desconhecem o procedimento necessário para isso, portanto, separamos algumas informações importantes que podem ajudar você que quer seguir esse caminho.

Em primeiro lugar, é interessante você se informar sobre os projetos que estão acontecendo na sua região, ou seja, que são próximos a você. Para as instituições locais, como associações, o comparecimento nos locais responsáveis já pode ser acompanhado de documentos para que o individuo esteja se candidatando para a função. O mesmo é previsto para projetos religiosos de qualquer caráter.

Mas como será que o voluntário pode chegar em propostas maiores, que não se resumem somente ao cenário local? Ou até mesmo, como ele pode estar verificando as causas disponíveis para participar daquela que mais se parece com os seus princípios e conceitos de mundo?

Bem, todas essas informações ficam disponíveis através do site acaovoluntaria.org.br. O site visa reunir os dados de ONGs e projetos voluntários que precisam de pessoas para trabalhar.

Além disso, através do link também é possível verificar palestras que estão para acontecer, lista de instituições, entre outras informações importantes para quem está buscando se voluntariar.

É nesse mesmo link que os candidatos podem preencher, de forma simples, o seu cadastro de voluntário para estar assumindo os papéis disponíveis nas instituições listadas.

Mas se o seu interesse é abranger causas de alcance ainda maior, uma boa opção é participar das Nações Unidas se candidatando para as vagas disponíveis através do link unv.org.

Também é possível entrar em contato com agências e instituições para trabalhar como voluntário em outros países, mas é importante verificar as exigências e requisitos dos participantes.

No geral, cada instituição pode estar exigindo diferentes disponibilidades dos voluntários, dependendo do que cada uma está demandando no momento de inscrição.

Por isso, vale a pena conferir os dados da ONG ou instituição de sua escolha, além de estar verificando a forma de cadastro para o trabalho voluntário. Se informe através do site oficial ou do telefone responsável pela causa que você selecionou.

10 coisas que você não sabia sobre o Teleton

Praticar o bem pode ser uma atitude muito significativa tanto para você quanto para outras pessoas. Mas é difícil levar atitudes positivas para áreas que você não conhece, então por que não se informar mais afundo sobre as causas que estão acontecendo perto de você? E para disseminar a ideia, vamos apresentar agora 10 coisas que você não sabia sobre o Teleton:

1. O Teleton não é originalmente brasileiro. Na verdade, o programa foi inspirado em uma outra iniciativa norte-americana qyue possuía objetivos semelhantes. A ideia inicial surgiu em 1954 e vem desde então, sendo representada em outras localidades.

2. Existe uma grande equipe trabalhando para que o evento aconteça. Você pode até achar que essa é uma informação meio óbvia, mas quando vamos para os números em si, vemos que é realmente surpreendente. Cerca de 870 pessoas compõem a platéia, enquanto uma equipe com pouco mais de 36 pessoas trabalha durante meses para que a edição do evento ocorra.

3. O Teleton é a maior transmissão ao vivo da história da televisão brasileiro. Isso mesmo! O evento dura mais de 25 horas, o que é um recorde de transmissão para a TV brasileira. Vale mencionar que o SBT disponibiliza meios para que o mesmo aconteça.

4. A inciativa tem padrinhos famosos. Assim como todas as propostas que surgem para arrecadar fundos com um objetivo maior, o Teleton possui um padrinho e uma madrinha de criação, que foram o cantor Daniel e a apresentado Hebe Camargo.

5. O programa já arrecadou R$31.173.920,00 em um só ano. Essa é uma curiosidade bem interessante, pois a principal proposta é não só disseminar a ideia de praticar o bem, como arrecadar fundos para auxiliar as pessoas participantes. O recorde foi alcançado no ano de 2015.

6. Mais de 7 mil artistas já passaram pelo palco do Teleton. O programa, com certeza, desperta o melhor das pessoas e já trouxe para o palco diversos artistas fazendo as coisas mais inusitadas que você possa imaginar!

7. O Teleton já proporcionou um campeonato histórico entre os artistas do SBT e os artistas da Record. Essa edição aconteceu em 2003 e ficou conhecida como “Curtindo uma Viagem”.

8. O programa também conta com artistas internacionais. E vale a pena mencionar que o apoio vem de todas as formas, tanto doando como incentivando o pessoal a doar, assim como fez o cantor Justin Bieber.

9. O apresentador Silvio Santos esteve presente em todas as edições. Como sabemos, Silvio Santos é o dono da emissora SBT e por isso, faz questão de estar envolvido em todas as edições do Teleton.

10. Eike Batista já doou R$ 3 milhões pelo telefone. Quando estava em seu auge financeiro, Eike doou o valor surpreendente de R$ 3 milhões, o que fez a apresentadora Hebe ter uma reação bem engraçada no palco.