Cortes em programas sociais assustam famílias de baixa renda ao redor do país

Atualmente, existem alguns programas sociais que assistem às famílias brasileiras que se encontram em situação de baixa renda. Entretanto, esses programas vêm sendo ameaçados pelos cortes no orçamento, causados por medidas do Governo que visam tirar o país de uma crise econômico.

Quem depende desses programas para alcançar o mínimo de qualidade de vida, tem se visto em uma grande incerteza. Afinal, qual será o destino dos brasileiros de baixa renda ao redor do país após esses cortes? Veja tudo a seguir:

Como mencionado, o país promove alguns programas sociais que visam assistir as famílias brasileiras que se encontram em situação de pobreza e pobreza absoluta. As inciativas mais famosas e mais solicitadas são requiridas através do programa Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida.

Diferente dessas propostas, que objetivam oferecer subsídio e auxílio financeiro mensalmente para as famílias cadastradas, temos o Fies, o maior programa de financiamento estudantil do país. E o motivo de ser necessários mencionar esses três programas, é que goram eles que mais sofreram cortes no Governo Bolsonaro, que começou a atuar esse ano.

O programa Bolsa Família, oferece um apoio financeiro mensal, que varia de acordo com a situação de cada família. As famílias que estão dentro dos requisitos de renda mínima por pessoas, podem solicitar o apoio através do registro no programa. Mas desde que o Presidente Bolsonaro anunciou diversos cortes nos programas sociais, quem está dependendo do pagamento do Bolsa Família em 2020 tem estado preocupado!

A proposta de diminuição do orçamento para os programas tem estado em pauta desde 2019, mas foi em 2020 que começou a valer para os brasileiros. A expectativa é que haja uma redução no valor da bolsa já que ela não será corrigida pelo valor da inflação. E o que isso significa para quem precisa do auxílio?

Bem, além da própria redução do valor toral, a fila de famílias que precisam se cadastrar no Bolsa Família tende a aumentar. Isto quer dizer que ficará mais rigorosa a avaliação de agentes responsáveis por classificar as famílias que podem se cadastrar no programa.

E apesar desse grande choque para beneficiários do Bolsa Família, o programa que mais sofreu cortes foi o Minha Casa Minha Vida, que permitia a compra de imóveis com condições facilitadas para famílias de baixa renda. A medida não vai proporcionar novos contratos de financiamento para as famílias de todo o país, garantindo somente a finalização dos processos que já estão em andamento.